domingo, 6 de outubro de 2013

O tempo de uma música

Em 2007 comecei a compor em ritmo de produção industrial com o amigo Augusto Ridson. A parceria começou com a letra de "Casa dos Espelhos" e desde esta música algumas frases, trechos de letras que o Ridson me mandava que eu mesmo não compreendia, ou buscava algum significado mais claro. Não que fosse algo nonsense, mas nem sempre tudo o que se escreve precisa de explicação mesmo. Nessas horas eu pensava com o guru Gessinger, não precisamos saber pra onde vamos, viver nem sempre faz sentido, etc... então que mal faz uma frase que à primeira vista não tem um sentido claro, mas que traga uma boa rima?!

Uma dessas canções chama-se "Revista em Quadrinhos", composta em janeiro de 2007, ou seja, uma das primeiras que compomos, pra ser mais exato, a segunda. Na época certas coisas que cantávamos faziam mais sentido pra nossas mentes juvenis e revolucionárias e não medíamos esforços para criticar coisas e defender pontos de vista. Na época certas coisas que constam na letra dessa canção eram reais, assim como são hoje, só que, diferente de hoje, não haviam tantas manifestações concretas. Não é querendo ser mais que sou, nem querendo me gabar, mas... Sabe quando falamos de uma música da banda preferida? "Ah, aquela canção é tão atual até hoje", "ah, fulano é profético, um messiânico"... 

Sexta feira retomei a tal revista em quadrinhos e não é que sua história realmente nunca muda! Fiz o vídeo da música para o Tocando em Frente e prestando atenção na letra percebi como minha música também se tornara atemporal, podendo ser considerada atual independente da época em que foi escrita. Abaixo seguem alguns trechos aos quais me ative mais nesta releitura:

1.
Histérico demais / Copa do mundo, o mundo em guerra
Difícil demais é defender nossas terras
Absurdos felizes / Infeliz coincidência
Intelectuais que coincidem em pseudo-inteligência

Na época em que fizemos a música não rolava esse clima frenético "tudo pela copa, tudo pra copa, a copa é tudo na vida" que existe hoje. Quem sabe copa do mundo estivesse na letra só pra articular a palavra mundo (de copa do mundo) com mundo (de o mundo em guerra). Hoje, quanta guerra já não tivemos, por conta da tal copa? Manifestações, balas de borracha, gás de pimenta, bombas, remoções de moradores, coação por parte do governador, corrupção, enfim...

Defender nossas terras talvez remetesse a algo até mais pro lado histórico, quem sabe até os próprios índios que não conseguiram defender seu território perante a ameaça portuguesa. Essa foi a primeira coisa que me veio a mente quando vi a letra pela primeira vez. Hoje, é tão difícil defender uma terra já tão acoada em meio a tanto concreto e asfalto, tipo o Cocó... coincidentemente, eu fazia o vídeo sexta-feira enquanto acontecia a desocupação dos manifestantes em defesa do parque contra os viadutos.

Cá entre nós, não entendo muito de engenharia de trânsito, mas basta passar pelos engarrafamentos dos viadutos do Cambeba, da 13 de maio, da Alberto Craveiro e outros viadutos que passam por cima da BR e ver que eles não estão com essa bola toda e não são nem de perto, por si só, a solução para o trânsito.

2.
Sexo demais nas capas de revista
Violência demais estampada nas notícias
TV manipulada que manipula nossas mentes
Mentalidade censurada e a juventude demente

Sexo demais hoje em dia não só nas capas de revista... pra onde se olhe na TV e nas "músicas"(?) populares encontramos uma overdose de bundas e outras coisas que não falo por ser este um blog de família.

Violência demais estampada nas notícias... CE TV hoje em dia tá pior que o Barra Pesada de quando eu tinha 10 anos de idade. Semana passada bateu o recorde: TODOS os dias (sem exagero) de quinta-feira (26/09) a segunda-feira (30/09) pelo menos duas pessoas que eu conheço ou que são mais próximas foram vítimas diretas da violência que toma conta de Fortaleza. Se não tivesse cuidado ia cair numa noia de me isolar do mundo...

TV manipulada nem falo, já sabemos (sabemos, né?)... ela não merece mais audiência do que já tem!

Mentalidade censurada é uma expressão que a compreendo mas não sei exatamente explicar. Quem sabe cada pessoa encontre as respostas que busca para ela. Lembro-me do amigo Valério que me perguntava sempre a que nos referíamos com esta expressão.

Juventude demente... infelizmente, até por ser professor, lido com cada jovem hoje em dia que, juntando 10, não dá 1... infelizmente...

3. Não deixe a vida passar em branco, ainda temos tantos planos!

Essa não precisa falar, fica a dica! Boa semana a todos!